jump to navigation

Criação. A emoção do primeiro artigo. 9, 05, 2011

Posted by varall in Estendendo informaçao.
trackback

Divido com vocês um artigo escrito pelos Carlos Domingos – sócio e diretor de criação da AGE Isobar, o autor de livros como Criação Sem Pistolão e Oportunidades Disfarçadas, sobre uma parte do processo criativo que é muito rejeitada, o mergulho.

Pediram ao Antunes Filho um conselho para os estudantes de teatro. Ele pensou um instante e respondeu: “quando estiver lendo um romance e sugir uma parte chata, não pule. No cinema, na arte é a mesma coisa. É aí que você conseguir macerar sua sensibilidade”.

Achei o conselho fantástico. De fato, temos o hábito de pular a parte chata de tudo. Foi a saída que encontramos para enfrentar a escassez de tempo, o excesso de informação e coisas para fazer. Mas, alguma vezes, é melhor ter calma. Ao ler um briefing, por exemplo. Num mundo em que todos os produtos se parecem nos seus benefícios, talvez aquele diferencial escondido na parte chata possa trazer a grande sacada.

Uma das coisas legais que vi em Cannes no ano passado foi a quantidade de boas ideias que provavelmente vieram de partes chatas de briefings – ou nem estavam no briefing. Foram reveladas depois de horas (dias, semanas?) de pesquisas. Aliás, esta é outra parte chata do processo criativo que as pessoas andam pulando: o aprofundamento.

O sujeito nem ouve direito o problema e sai logo cuspindo ideias, um ejaculador precoce mental. Existe Boston Medical Group para ideias?

Tem que mergulhar na questão. Os peixes maiores estão no fundo. Mas ninguém quer perder horas e dias pesquisando – e sacrificar finais de semana com os amigos ou o convívio quentinho com a família. Mas quem enfrenta essa parte chata tem mais chances de se dar bem. Veja o depoimento de Marcos Medeiros logo após consquistar o Grand Prix de Mídia Impressa de Cannes, em 2010: “Este GP eu dedico à minha mulher, que esteve, literalmente, ao meu lado enquanto trabalhava na campanha mais complexa de toda a minha vida. E que suportou, ao meu lado, horas e horas de pesquisas de videoclipes de Britney Spears, Vanilla Ice e até Cher”. Passar noites vendo horas e horas de Vanilla Ice e Cher? Chato, hein?

Editorial Opinião, A emoção do primeiro artigo, jornal Meio e Mensagem, 2 de maio de 2011.

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s