jump to navigation

Propaganda no Futuro. 20, 09, 2010

Posted by varall in Estendendo Referência.
trackback

O artigo abaixo foi publicado no site Propmark, e questiona o futuro da propaganda. Para você qual será o futuro da propaganda?

Por André Pedroso, diretor de criação da DM9DDB.

Não faz sentido escrever sobre o futuro da propaganda sem levar em consideração que ela já é e será ainda mais colaborativa. Então, deixando de lado a pretensão de prever o que nós publicitários seremos no futuro, além de mais velhos, fiz um convite através do Twitter e do Facebook para que as pessoas contribuíssem com suas ideias. Minha caixa de e-mail felizmente lotou. Fui obrigado a fazer uma seleção das frases, contando com a gentileza de todos que enviaram e permitiram a inclusão ou exclusão do texto final.
O resultado é o que você vai ler neste artigo. Talvez o primeiro da propaganda brasileira escrito com a ajuda das redes sociais. Vale lembrar que em comunicação não existe mágica. As ferramentas estão aí e são as mesmas para todo mundo. A criatividade vai continuar a fazer diferença na mensagem, seja ela qual for.

E nós teremos que ser mais generosos, mais participativos, mais relevantes, mais multiplataforma, mais criativos. Um enorme obrigado a todos que contribuíram com este artigo.
• “Uma volta ao tempo em que os donos colocavam seus nomes nos anúncios. A simplicidade passará a ser considerada em vez dos chavões.” (Ana Goelzer)
• “O futuro, da mesma forma que o passado e o presente, será da simplicidade criativa, seja para web, rádio, redes sociais, ações ou para um filme de 30” na TV – não, ele não vai morrer.” (Gustavo Bastos)
• “A propaganda será extremamente personalizada e qualificada, atingindo o target sem provocar interrupção na sua diversão. Pelo contrário, a propaganda será a diversão dele.” (Gustavo Fontes)
• “Apesar da revolução orquestrada pela indústria tecnológica e da crescente interatividade entre marca/consumidor, impulsionada pelas mídias sociais, a propaganda do futuro ainda dependerá de mentes criativas, humanas, analógicas, que não se limitam ao ‘ontem’ nem tampouco se acomodam às soluções do presente.” (Fabiano Cunha)
• “Acho que a propaganda no futuro, assim como hoje, só será boa quando tiver pertinência e relevância. Vai poder usar de muitos novos canais, mas vai ter que respeitar mais o consumidor, sendo menos intrusiva. E vai ter de aprender, por bem ou por mal, a respeitar a privacidade e o uso dos dados pessoais.” (Paula Rizzo)
• “Cada vez pior como as de hoje, com mais varejo, anunciando bacalhau e beliche no horário nobre.” (Gustavo Salles)

• “No futuro, o marketing que não for do bem vai se dar muito mal.” (Silvio Lachtermacher)
• “No futuro não nos chamaremos mais publicitários e sim propagadores.” (Flavio Cordeiro)
• “Acho que será cada vez mais dirigida e o público é quem vai procurar se informar antes de consumir. Sorte de quem for mais simples possível. Cada vez menos tempo sobra.” (Socorro Machado)
• “No futuro não haverá tanta resistência das pessoas com a propaganda, simplesmente porque elas vão ver que, sem isso, não venderão mais.” (Elizeu Soares)
• “Hoje, ainda se vê muito do antigo modelo de comunicação em que alguns anunciantes focam exclusivamente nos preços ou na descrição de features do produto. No futuro ainda distante, será difícil diferenciar a comunicação do entretenimento.” (Gabriel Sotero)
• “Graças a Deus, uma coisa não vai mudar na propaganda de hoje para a propaganda amanhã: ideia boa é ideia boa.” (Marcelo Reis)
• “Propaganda no futuro é um bom nome pra agência da Mãe Dinah.” (Michel Neuhaus)
• “No futuro, todas as pessoas que trabalham em propaganda vão gostar de propaganda. Se isso acontecer, muita coisa já será diferente.” (João Caetano)
• “A propaganda do futuro vai ser puro conteúdo transitando e se transformando na ‘nuvem’”. (João Mostério)
• “Poucas pessoas irão identificar onde ela começa e onde ela termina.” (Daniel Bottas)
• “No futuro, se você quiser fazer propaganda terá que ser pertinente e 100% relevante para o momento que o consumidor vive, sem ser intrusivo. No futuro quem fará propaganda não será a agência e sim o consumidor. Como obter sucesso num ambiente como esse? Oferecendo produtos legitimamente bons e honestos. Simples assim.” (Cassiano Saldanha)
• “A tecnologia vai evoluir, sem dúvida. Mas não importa aonde ela chegue, nunca vai substituir a grande ideia. Temos que aprender a utilizar a tecnologia em função da ideia.” (Gustavo Pehrsson)
• “A propaganda no futuro não será propaganda.” (Flavio Pina)
• “A propaganda do futuro será, no mínimo, menos chata.” (Marcio Beauclair)
• “A propaganda do futuro é tão friendly e relevante que vai ter nego querendo fazer propaganda na propaganda.” (Moacyr Netto)
• “Quem sabe um dia o consumidor vai poder escolher que tipo de publicidade quer assistir na TV, da mesma forma que escolhe se quer ou não receber newsletter de um anunciante. Uma missão malabarista para os apelos criativos e aos mídias, bem como aos veículos. No futuro, talvez tenhamos um canal na TV paga somente voltado à publicidade, passando um atrás do outro por categorias, como no Festival de Cannes e outros, incluindo filmes do presente e do passado.”(Simone Drago)
• “Uma tendência natural é a publicidade se tornar cada vez mais uma conversa mútua entre marca e consumidor. A relação unilateral do ‘eu falo sobre o meu produto e você me escuta’ já não surte tanto efeito (mesmo com ideias criativas) porque o comportamento do consumidor mudou.” (Flavia Vianna)
• “Eu não acredito em propaganda. Eu acredito em ideias. O futuro é de quem não é refém de formatos.” (Tiago Freitas)
• “Espero que a propaganda no futuro se divorcie do formato e se case com a ideia, que a Globo pare de vender somente 30 segundos, que a gente aprenda a cobrar coisas que não estão na tabela, que os clientes negociem com suas agências o valor das ideias e não somente o fee.” (Leonardo Macias)
• “Cada vez mais isso se confirma: falar que internet é o futuro já é coisa do passado.” (Fernando Carreira)
• “A publicidade vai sair da TV e vai sentar do meu lado no sofá, talvez disputando a pipoca comigo. (Luiz Cavalheiros)
• “Com todas as mudanças acontecendo, como ‘gratuidade’, microtendências, longtail, o fenômeno das redes sociais digitais, o acesso à internet cada vez maior, centenas de novas mídias e canais, os modelos antigos ficam cada vez mais antigos e ineficientes.” (Fabio Seixas)
• “Adivinhe: do que será feito o futuro da propaganda? Boas ideias.” (Fabio Rodrigues )
• “Pra mim, propaganda do futuro será quando, apesar de todas as novas plataformas e devices, voltarmos à propaganda do passado. Ou seja, quando os profissionais de marketing e suas respectivas agências voltarem a ter compromisso com o resultado final bom, aquele que encanta, distrai, diverte, informa e consequentemente vende, e não apenas mantiverem os compromissos com seus processos, cargos, empregos e suas zonas de conforto.” (Ricardo Zanella)
• “Propaganda do futuro é Chacrinha, é Sílvio Santos, é comunicação em forma de entretenimento e sem formato.” (Antero Neto)

• “A boa propaganda, no futuro, vai continuar a depender, como sempre, das boas ideias.” (Paulo Éboli)
• “Não sei o que será a propaganda no futuro, só acho que o nome disso não será mais propaganda.” (André Galhardo)

André Pedroso – diretor de criação da DM9DDB
andre.pedroso@dm9ddb.com.br

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s