jump to navigation

Eu te amo 2, 12, 2009

Posted by varall in Varal de Manaus.
Tags: ,
add a comment

FICHA TÉCNICA:
Cliente: Prefeitura de Manaus
Produto: Dia Internacional de Combate à Aids
Serviço: VT
Duração: 15″
Título: “Eu te amo”
Criação e Redação: Gelson Leite
Planejamento: Nílio Portella
Atendimento: Eulália Ribeiro, Nilio Portella e Vanessa Edwards
Aprovação: Liliane Maia

Stokcasa 2, 12, 2009

Posted by varall in Varal de Manaus.
Tags:
1 comment so far

Ficha técnica:

Ag: Prócion
Dir. Criação: Matso Kelly
Dir. Arte: Miguel Ale
Planejamento: Ivomarcos Vieira
Atendimento: Patrícia Campos, Alexandre Cabral
Mídia: Swamy Marques e Camila da Silva
Aprove cliente: Anderson Souza, Paulo Ricardo

ENTREVISTA DO MÊS: Márcio Holanda 2, 12, 2009

Posted by @onlydatasaves in Entrevista.
2 comments

A entrevista exclusiva deste mês é com o Diretor de Arte para mídias interativas e digitais da OgilvyInteractive Itália, Márcio Holanda. Márcio é natural do Pará, mas se  formou em Comunicação pela Universidade da Amazônia e tem pós-graduação em Design Gráfico pelo Senac de São Paulo. Ele já criou para marcas como Motorola, American Express, Nescafé, Coca-Cola, Volvo, SAP, ABN Anro Bank, Banco do Brasil, Gerdau, Fiat, entre outras.

Dá só uma olhadinha nos prêmios do moço:

1 Gold Lion – Cyber Lions Cannes Festival
6 Shortlist – Cyber Lions Cannes Festival
1 Bronze – The One Show Festival
1 Finalist – New York Festival
1 Merit – London Festival
1 Gold – El Sol de Iberoamérica
1 Silver – John Caples Festival
1 Merit – Art Directors Club Festival NYC
2 Silvers – Sao Paulo Creative Club
1 Bronze – Circulo Creativo de Mexico

Eu aproveito o espaço para agradecer, em nome do blog Roupa no Varal,  a simpatia e a atenção do Márcio.

Agora você, leitor, confere abaixo mais uma entrevista que vai entrar para a história do nosso blog. Boa leitura!

++++++++++

ENTREVISTA COM MÁRCIO HOLANDA


VARAL –
Atuando na Europa e na América Latina, como você vê as diferenças entre estes mercados em relação às mídias digitais?

MH- A principal diferença, pra mim, está no “hardware” da coisa. Na Europa e em todos os países desenvolvidos, o acesso aos meios digitais se dá em maior escala e com maior qualidade. Computadores mais avançados e conexoes de banda larga mais abrangentes e potentes fazem uma diferença muito grande para o tipo de projeto digital que se pretende desenvolver. No Brasil, por exemplo, o custo da banda larga e sua má quaildade de transmissão de dados limitam muito o uso de ferramenta como videos em alta qualidade. Aqui na Itália, por exemplo, a partir de 1o. de dezembro a transmissão de TV só será em digital.


VARAL –
Com tantos canais novos surgindo, a que você acha que o profissional deve ficar atento na área de mídias digitais e interatividade?

MH- Essa pergunta me faz lembrar uma situação vivida. Certa vez um amigo que trabalha comigo e que é atendimento me diz que gostaria de aprender a usar Flash. Respondo que o mais importante, para ele, é entender a lógica de como a coisa funciona, e deixar a parte “to do” para os criativos. E com esse princípio, menos tecnoquês e mais filosófico, será fundamental para o novo profissional que prentende trabalhar no mercado digital. Numa agência de propaganda, assim como eu acredito que o criativo deve saber um básico de business e administraçao de negócios, clientes etc., o profissional de atendimento também deve conhecer a lógica de como os meios digitais funcionam. Isso vale também para aqueles que pretendem ser o cliente, nos departamentos de marketing das empresas. Isso requer estudo e um certo histórico de vida. Aprender e entender o mundo digital é muito mais fácil para aqueles que jogaram Atari na infância ou que trocaram a festa de 15 anos por um computador.


VARAL –
Qual o cenário que você enxerga para o futuro do setor na questão do investimento por parte do cliente, principalmente no Brasil? Há uma abertura maior para o investimento em campanhas baseadas em mídias digitais?

MH- Eu não conseguirei responder sobre o Brasil com precisão porque já estou fora do país há mais de 3 anos. Mas numa coisa acredito: os mercados estão muito uniforme, intrelaçados. Basta recordar os reflexos da crise que afetou a todos os paises. Por isso o que acontece aqui fora, de certa forma, deve estar acontecendo no Brasil. Sim, as empresas estão investindo mais em digital. E o mais interessante é que os investimentos estão misturados entre as mídias “tradicionais” (TV, radio, jornal) e as digitais. Há 5-6 anos, tudo era muito separado e especializado, onde a internet era um objeto a parte. Hoje não. As pessoas dedicam suas vidas num mesmo grau de intimidade que elas têm com a TV.



VARAL –
Onde você busca referências criativas para o seu trabalho? Quais são suas influências?

MH- Parece meio piegas, mas é no que acredito: a melhor referência é a vida. Quero dizer, olhar as pessoas, conversar mais, sair mais, conhecer mais, viajar mais. Pegar buzão é ótimo para saber o que as pessoas usam, comentar, consomem, porque o meu trabalho vai diretamente para essas pessoas. Quer um exemplo? Tenta escutar uma conversa (ou gritaria) de adolescentes dentro do ônibus. É uma experiência quase antropológica sobre a forma de pensar, de expressar, de consumir, bem diferente da minha adolescencia há 15 anos.
Agora, respondendo de uma forma mais prática, gosto do Favourite Websites Awards (www.thefwa.com). Ali se encontram os trabalhos mais recentes e bacanas no meio online, inclusive digo que ali é um pré-Cannes. E aproveito a oportunidade para expor a minha crítica: creativos, párem de olhar Archive, o supra-sumo do trocadilho barato e débil da publicidade. Essa revista é uma praga dentro das agências.


VARAL –
Hoje vemos alguns diretores de arte que dão mais importância para a parte de execução, ou seja, no uso do software, do que realmente ao aprendizado da teoria. Qual sua opinião?

MH- Diretores de Arte: párem de olhar Archive.


VARAL –
Quais as suas dicas para quem esta começando na área?

MH- Estudar, ler, ver, conhecer. Bagagem cultural faz uma diferença enorme para quem quer criar, porque o processo de criaçao em propaganda nada mais é que transformar conhecimentos em idéias. Tenho um amigo italiano que nunca comeu nada que nao fosse comida italiana. Triste, não?
Lembro de quando eu comecei na área e li as dicas do velho e bom “Manual do Estagiário”, do Eugênio Mohallen. Você deve estar esperto, jamais espertinho nem espertalhão.


VARAL –
Quais os principais desafios que a direção de arte voltada para a área digital enfrenta?

MH- Hoje vejo que mais do que nunca a questão da usabilidade é mais forte. Isso significa em “less is more”, em pensar sempre no usuário em primeiro lugar. A interface gráfica do iPhone, Android ou Wii são ótimos exemplos.

Agende. Jornada Fotográfica: última rodada. 2, 12, 2009

Posted by varall in Agende.
add a comment

Jornada Fotográfica – A Última Rodada
Data: Domingo – 06 de Dezembro
Local: Eldorado – Manaus-Am
Hora: 14h30

Via: A Escrita da Luz

%d blogueiros gostam disto: